Câncer de Pele Não Melanoma


Câncer de pele

O Câncer de Pele é o tipo de Câncer mais comum para homens e mulheres.


Para cada ano o INCA (Instituto Nacional do Câncer) estima em quantidade prováveis novos casos de doenças no país e, em seu último anúncio do ano de 2016, foi estimado 175.760 novos casos de Câncer de Pele no Brasil.


A Pele é o maior órgão do corpo humano, ela é responsável por trocas de calor e água com o ambiente, protege os órgãos internos e transmite informações sobre calor, frio, dor e tato para o cérebro. devemos cuidar com muito carinho da nossa pele e observar qualquer mudança nela.

 

TIPOS DE CÂNCER DE PELE:


Há dois tipos de Câncer de Pele:


Câncer de Pele Não Melanoma: origem geralmente em células basais ou escamosas.

Câncer de Pele Melanoma: origem nos melanócitos, células produtoras de melanina.



O tipo de Câncer Não Melanoma é descrito como o mais comum das neoplasias de pele e representa 95% dos casos.


O tipos Câncer de Pele Não Melanoma são classificados em:

- Carcinoma Basocelular (células basais),

- Carcinoma Espinocelular (células escamosas).



CARCINOMA BASOCELULAR:


O Carcinoma Basocelular (origem nas células basais da epiderme) representa 75% dos casos de câncer de pele.

Mais comum em pessoas de meia-idade e idosos e aparece geralmente em áreas muito expostas ao sol, como o rosto e o pescoço. É de desenvolvimento lento e difícil disseminação para outras áreas do corpo, porém exige tratamento mesmo assim pois, pode comprometer grande área em extensão e profundidade onde se encontra.

Estima-se também que 35% e 50% dos pacientes que tiveram esse tipo de câncer de pele terão outro num prazo de 5 anos após o diagnóstico. Portanto, o paciente que já teve câncer de pele tem de fazer um acompanhamento permanente.


CARCINOMA ESPINOCELULAR:


O Carcinoma Espinocelular (origem nas células escamosas, camada mais externa da epiderme) representa 20% do total de casos de Câncer de Pele. Aparece geralmente no rosto, orelha, lábios, pescoço e dorso da mão.

Pode também surgir de cicatrizes antigas ou feridas crônicas da pele em qualquer parte do corpo e até nos órgãos genitais.

Carcinomas Espinocelulares têm risco maior que o basocelular de invadir o tecido gorduroso, atingir os linfonodos (gânglios linfáticos) e se disseminar em outros órgãos.

* Há ainda vários outros tipos de câncer não-melanoma, bem mais raros e eles representam apenas 1% do total de todos os tipos.



PREVENÇÃO DOS TUMORES MALIGNOS NÃO MELANOMAS

A exposição prolongada aos raios ultravioletas do sol é fator de risco conhecido para os tumores de pele. Assim, trabalhadores sob exposição direta ao sol são mais vulneráveis ao câncer de pele não-melanoma.


É recomendável que seja evitado a exposição ao sol das 10h às 16h e utilizado filtros solares com fator de proteção adequado para a região e tipo de pele além de roupas, chapéus, guarda-sol e óculos escuros apropriados.


Não podemos deixar de lembrar que o sol também é nosso aliado para a produção de vitamina D. Portanto, deve ocorrer exposição solar responsável para que os níveis da vitamina D, importantíssima para o corpo, não fique abaixo do recomendável para cada indivíduo.


Outros fatores de risco incluem indivíduos com cor de pele, olhos e cabelos claros; sensibilidade ao sol; sistema imune debilitado; história familiar de câncer de pele; exposição a radiação artificial.


Esse tipo de câncer é mais comum em adultos, com picos de incidência por volta dos 40 anos. Porém, com a constante exposição de jovens aos raios solares, a média de idade dos pacientes vem diminuindo.


Para auxiliar na prevenção e detecção precoce do câncer de pele não-melanoma, consulte um médico ao sinal de qualquer qualquer diferença ou alteração.





#CâncerdePele #CâncerdePeleNãoMelanoma

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square